Inglês em processos seletivos

Em um mercado marcado pela recessão, a busca por diferenciais acaba assumindo um papel central no momento da recolocação. Durante muito tempo a fluência em inglês foi vista como um destes diferencias. Agora, ela é vista como um item obrigatório. Por isso, não é incomum nos depararmos, em processos seletivos, com o seguinte pré-requisito: “fluência em uma terceira língua”, o que já pressupõe o domínio do português e do inglês. Por isso, o curso de idiomas se tornou uma das prioridades de muitos profissionais.

Muito disso se deve ao fato de o Brasil, na última década, ter se tornado rota de eventos internacionais como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, por exemplo. Esses eventos abriram diversas oportunidades de trabalho na rede hoteleira, visto que colocaram o Brasil em evidência no cenário internacional e o tornaram destino certo para milhões de turistas em todo o mundo. Além disso, o Brasil também vem intensificando suas relações comerciais com diversos países do mundo, sediando empresas internacionais dos mais diversificados portes e segmentos e, nas últimas duas décadas, experimentamos um aumento considerável do número de pessoas que tiveram a oportunidade de estudar no exterior.

Para atender a este requisito cada vez mais relevante do mercado, é preciso que você saiba escolher a escola de idiomas certa, que atenda a requisitos de qualidade essenciais. Para isso, separamos quatro dicas importantes:

1- Tenha mais de uma opção de escolha

Atualmente, existem escolas de idiomas com as mais variadas propostas educacionais para atender aos mais diversificados perfis de aprendizagem. Para fazer a escolha certa, você precisa pesquisar esses modelos e optar pelo que atende melhor às suas necessidades. Faça uma lista elencando os nomes de cinco escolas de idiomas, sejam elas presenciais ou online. Visite cada uma delas, converse com alunos e professores. No caso das online, pesquise seus métodos de ensino e veja o que as pessoas comentam sobre ela na internet. Pesquise, também, sobre o custo benefício de cada uma delas, se o valor cabe no seu bolso, se os horários são compatíveis com a sua rotina, entre outras coisas.

2- Destrinche os métodos de aprendizagem

Saiba se a escola pratica os métodos tradicionais ou se ela é adepta dos menos convencionais. Pergunte como é a dinâmica das aulas e se na sua turma todos os alunos estarão no mesmo nível. Observe se a escola privilegia a conversação e se os seus professores são nativos. Depois disso, case a sua pesquisa com as suas necessidades.

3- Faça um teste

É muito comum que as escolas de idioma ofereçam aulas demonstrativas para que você possa testar os seus métodos, sem compromisso. Faça agendamento de aulas nas escolas que você pré-selecionar e fique atento a todos os detalhes: estrutura da sala de aula, faixa etária dos alunos, qualidade do material didático, qualidade da biblioteca, atendimento, entre outros.

4- Avalie os pontos positivos e negativos de cada escola

Com as experiências acima concluídas, é hora de por no papel os pontos positivos e os negativos de cada uma das opções que você tem em mãos. Nesta etapa, pergunte para você mesmo qual das escolas oferece o que você precisa para aprender. Além disso, avalie em qual das aulas experimentais você sentiu mais confiança. Compare todos os pontos e veja em qual das escolas o lado da balança que representa os pontos positivos obteve maior peso. Certamente, esta será a escolha mais acertada.

Dica extra: Você sabia que o Clube de Vantagens da Família possui parceria com escolas de idiomas? Isso quer dizer que os filiados e seus dependentes podem fazer um curso de inglês, por exemplo, com descontos exclusivos. Acesse a aba “Parceiros”, em nosso site e saiba mais.

Clube de Vantagens da Família e os cookies: a gente usa cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.